Top 5 canetadas BR (2023)

Dois mil e vinte três foi um ano forte pro hip-hop, dezenas de projetos foram pra pista, tivemos artistas que estouraram, outros solidificaram seu legado, e muitos mais muitos novos artistas colocando na rua seus projetos pela primeira vez.

No meio de tanto lançamento, a gente fica perdido sobre as canetadas mais boladas do ano. Por isso, fizemos um trabalho de responsa separando um top 5 canetadas BR pra você pegar a visão que, quando o assunto é composição, a gente num fica pra trás em nada da gringa. 

Ah! Sem ordem e posição, separamos cinco canetadas de destaque e é isso. Vamo nessa?

 

Duquesa – Glória

Tudo que não se vê é sagrado, banhada de ouro

Quando o brilho te cega, o olhar do invejoso

A armadura mais dura por dentro e por fora, protegida igual tesouro

Eu não cobro e nem me sujo, a cobrança sempre chega na mão de outro

 

A tudo, tudo que doeu, eu não me entrego pra dor

A todos que são como eu, tendo tudo que sempre almejou

Quem não corre quando a vida aperta?

Quem não pula quando o mar balança?

Quem não abaixa a cabeça pra otário que manda e desmanda

 

Nós não é criança, eu mereço o primеiro pedaço

Não me conformo com sua sobra

É que еu gosto de luz e não consigo viver na sombra e isso que é foda

Viciada em recusar proposta

Mesma perna que corre é a mesma que arromba a porta

 

Ocupada treinando pros dias de glória, ahn

Pros dias de glória, ahn (yeah)

Pros dias de glória, ah (yeah)

Dias de glória, dias de glória, dias de glória

Victor Xamã – Flores Mortas & Algemas 

Abre a janela do quarto, fixa os olhos no céu

Pensa em mim, que eu penso em ti

Pensa em mim, que eu penso em ti (não)

Estranho todo dia a casa sem ninguém

Saudades do que? Saudades de quem?

 

Se tudo que me deram foram flores mortas

Mas mesmo assim eu as plantei aqui

Tá chovendo lá fora

Meu violão tá sem as cordas

 

Essa bolsa nova machuca

Meu humor tá igual esse céu nublado

Coração preso numa arapuca

Pássaro livre agora é pássaro preso

 

Joguei uma moeda no poço dos desejos

Uma criança pegou, fiquеi feliz de ver quе meu desejo

Agora estava em mãos ingênuas

 

Tudo que me deram foram flores mortas e algemas

Tudo que te deram foram flores mortas e algemas

Tudo que me deram foram flores mortas e algemas

Tudo que te deram foram flores mortas e algemas

Flores mortas, cores frias, mãos do tempo, a cigana lia

Don L – Tudo é pra sempre agora

 

Disse que o coração tá interditado

Eu disse: eu sou trabalhador da obra

E é tão século passado o amor idealizado

Eu só quero uma entrega agora

(Só por hoje)

Só por hoje ao contrário

Como um adicto espera a brisa

E o passado, o futuro, a vida

 

O enquadro na ida quando alguém gritou (Polícia)

(Nada mais importa)

Nada mais importa

Os carros na avenida

E quem seriam atrás dos vidros

Quantas lentes filmam

Pra fazer tudo ser infinito

(Tudo é pra sempre agora)

Especialmente o que eu não queria

Em telas, threads, perfis de quem não me importa

E quão pouca coisa importa

Quando ela tá comigo

Ebony & Larinhx – Espero que entendam (freestyle)

Essa semana eu li que o cérebro do, do

Do homem só amadurece com 25 anos (ahn, ahn)

É, carai, nós é burro, mano

Juro, juro que eu li isso no Instagram, falei: Será que é verdade? (Ebony, bitch)

 

Vida, como eu tô errada se eu citei o KDot?

Pra ser vista, anjo, eu me coloquei no spot

Manda avisar: Tô viral 11 no Spoti

E fã de rapper masculino é igual de diva pop

 

Amo BK’ porque ele é como um pai pra mim

Eu dou comida e troco a fralda, ele já tá velhinho

Foi meu mentor, o meu padrinho e investiu em mim

Foi pro estúdio de andador pra gravar Camarim

 

Ret, como tu escreveu Vivaz e Santo Amaro?

Rimas crise da meia-idade aos quarenta anos

Honestamente, eu nem me importo, porque entendo a arte

Mas se eles vão encher meu saco, eu vou tá pontuando

 

Eu também fumo um e quero falar merda, pô

Avisa que isso são só devaneios retianos

E o L7 que me espere porque, porra, mano

Ainda nem me decidi se tu é preto ou branco

 

Espero que vocês entendam, vida, ahn

Adoro as músicas, mas preciso provar meu ponto

Eu tenho o rosto, tenho o corpo e eu tenho a rima

Se eu tivesse um pau, os bofes iam tá mamando

 

Puterrier falando pra caralho que tem um fetiche

O meu é bofe igual a ele com cara de Kit

Mando beijo pro BG porque esse eu já matei

E, se não quer morrer de novo, indico que evite

Eu disse que tinha linhas, eu disse que tinha barras

Se eu começar a cuspir, eles tudo ficam de cara

Eu apoio a Palestina, eu adoro comer uma cafta

Orochi, me responde se só tem preta na África

 

Falei de cariocas, tô jogando em casa

Pra ter mais chance de trombar com eles cara a cara

Até me pediram para eu falar sobre o Kyan

Mas tudo que eu sei é que ele é o bofe da Tasha

 

Soube que o Baco disse que eu sou superestimada por ser sudestina

Mas me botou nos melhores pra eu ver a rotina

No início, achei que era onda

Aí ele foi e fez um feat com a Luísa Sonza

Porra, vida, por favor, se manca, sustenta tua banca

Eu nem sou tua namorada e me trocou por branca

 

Eu espero que vocês entendam, vida (aham)

Adoro as músicas, mas preciso provar meu ponto

Eu tenho o rosto, tenho o corpo e eu tenho a rima

Se eu tivesse um pau, os bofes iam tá mamando

 

Eu até gosto do Major, mas só faz feat com quem ele come

Me chamou quatro vezes, depois ele some

Acredito que seja medo de eu ser muito boa, por isso

Djonga

 

Eu não, eu não vou pedir desculpa, pode vir lamber meu saco

Quer ser o Travis Scott, mas rima mal pra caralho

Isso não é ódio, vida, busca abraçar meu papo

Você é o aviãozinho, a Baddie é o El Chapo

Indico sair da frente ou você vai ser amassado

Eu acabei de fazer vinte e o meu show já tá lotado

 

A sua irmã me ama, a sua mina me escuta

Não indico cutucar a onça com essa vara curta

Eles têm bronca de mim, eu sei, eu já vi prints

Todos pagam pau pra mim, mas não me chamam pro feat

Quer fazer outra de mim, uma sem minha autoestima

Eles vão ter que engolir a vitória da Ebony

Tô fadada ao sucesso, fui revelação da Genius

Os pretão brabão entende, não Enzo de condomínio

Eu puxo o fundamento e falo da bucetinha

Desculpa, tô megalomaníaca

 

Cara, mas, papo reto, porque, tipo assim

A galera leva pro pessoal e acha que eu tô falando das pessoas

Mas não é, tá ligado? Eles não ouvem

E tipo assim: Ah, vai perder público, que público?

Os bofe não escuta a gente, mano

Tá ligado? E foda-se também

Quem tiver que entender, vai entender

Porque se tu, quando tu vira lá pra Queimados, subindo a São Simão

Você vê como é que é a realidade, entendeu?

Esses moleque ficam falando lá da casa deles no Leblon

Como se soubesse de alguma coisa

 

Não sabe de porra nenhuma

Aí fica virando na minha cara

Aí fala: Ah, não, porque não sei quem tá chegando agora

Meu irmão, posso ter começado a rimar há pouco tempo

Mas eu vivo o rap, eu estudo o rap, tá ligado?

 

Não sabe, não sabe de porra nenhuma

Não sabe quem foi, não sabe o que que foi no bagulho

Não sabe o que significa diss

Não sabe o que significa porra nenhuma

Não sabe de métrica, não sabe de nada

Porque é tudo: Ai, vou botar muito autotune

Calma aí, cara, faz, porra, mano

 

A gente tem um bagulho que, tipo assim, pouquíssimas pessoas têm, tá ligado?

Que é de ganhar dinheiro fazendo nossa arte, fazendo algo que a gente gosta de fazer

Então, porra, se esforçar pra ser o melhor, tá ligado?

E é isso, mano, todo mundo que eu citei eu gosto, tá ligado?

E gosto das músicas também

 

Só que é isso, isso aqui que eu tô fazendo é necessário, entendeu?

Não vou deixar com que homens limitem qual tamanho mulheres podem chegar

E o que que elas podem ou não fazer, entendeu? E a todos

E daqui, e daqui a dez anos vão entender, mano, é isso que é foda

Daqui: Ah, tá, porque não sei o que, entendeu?

Pô, eu quero dar uma casa pra minha mãe, viado

Foda-se.

Marcelo D2 SARAVÁ

Alô, meu povo da rua!

Assim tocam os meus tambores!

Ancestralidade de futuro!

E pra fazer o futuro, precisamos resgatar o passado

Então vamos lá!

A hora é essa!

 

(Um som de tambor)

Se é da paz, pode entrar

Se não, ideia pouca, chapa (louvado seja)

Saída a bangu porque na rua a regra é outra

Saravá, pé no chão, cigarrinho na boca

Patuá do santo é forte (um som de tambor)

Não tamo aqui à toa, não

 

O corre é feito a vida toda com o que tem na mão

Pronto pra lutar que também se luta com uma canção (bendito)

Aleluia já falou: Somos um povo de fé

E o fato é que ninguém roubou o meu axé

 

Loops, tambores, melodias e rimas

De encruzilhadas, bares e esquinas (um som de tambor)

Beats and breaks de relíquias e crias

De lourdes e duas marias (louvado seja)

Eu só quero um bule de café, um quintal pra molecada

Mãe, cê pode ir que seu filho cuida da casa (um som de tambor)

 

Daquele jeito, né? Nessa vida louca

Saravá, pé no chão, cigarrinho na boca (bendito)

 

Adorei o repertório, marcelo!

Foi, eu acho que foi o show que eu mais me emocionei

Até hoje por causa do repertório de resistência, de

De, sabe? De favela, falando de favela, falando

 

Ah! Mas foi muito bom! E todas as músicas muito

Você escolheu, assim, a dedo essa música

Err, esse repertório de ontem

 

Muito bom! Muito bom! Fiquei muito feliz

Nossa! Era assim, foi um bálsamo pra mim, ontem, me recompor

Brigada, meu filho! Muito bom! Fiquei muito feliz!

(Um som de tambor)

Cês tão pronto prum rolé?

 

Obviamente, várias canetadas em 2023 ganharam destaque, mas dessa curadoria aqui, com certeza a caneta sangrou.  Eai, qual seria teu top 5? Comente.