Rap se manifesta contra ofensas racistas ao goleiro Aranha

Mais um caso de racismo ganhou destaque na imprensa. Tudo aconteceu ontem em um jogo entre Santos e Grêmio, realizado no Rio Grande do Sul, em partida válida pela Copa do Brasil. No segundo tempo, após receber um pisão do atacante do time adversário, o goleiro Aranha, do Santos, foi agredido com ofensas racistas por torcedores gremistas, que imitavam macacos e o xingavam.

Depois da partida, jogadores e imprensa se manifestaram sobre o assunto e a maioria concordou com a punição dos envolvidos. Nesta sexta, o perfil de uma das torcedoras flagradas pela transmissão do jogo foi amplamente divulgado, inclusive gerando o afastamento do trabalho e inúmeros comentários condenando sua atitude nas redes sociais.

image

Fonte: ESPN

Mas como mudar essa cultura dos campos de futebol, em que pessoas xingam à todos sem medo de punições e, após serem identificados, se justificam dizendo que não são racistas e até possuem amigos ou parentes negros? Talvez uma das melhores formas de resolver essa questão tão arraigada na sociedade brasileira seria exatamente falar do assunto, debatê-lo e punindo aqueles que insistem em tomar atitudes racistas.

No entanto, nem todos se sentem a vontade de falar sobre o assunto. Mas por quê? Faltam argumentos, exemplos, vontade ou porque o assunto simplesmente não diz respeito ao dia a dia da pessoa? Não foi o que fez Parteum, MC e produtor musical, que utilizou o Twitter para se manifestar sobre o ocorrido. “Insistem em chamar negros de macaco, fedido e variações… Em 2014? Vocês não aprenderam nada desde que chegaram nesse planeta?”, provocou.

image

Fonte: @Parteum

O rap já possuiu em sua história um importante papel em debater o racismo e políticas públicas para combatê-lo. Ao longo de sua história, inúmeras músicas e clipes foram feitos levantando o debate sobre o assunto. O tempo passou e hoje em dia, tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, o número de artistas engajados nessa luta diminuiu, mas eles ainda existem e possuem voz. Mais do que isso, ainda se faz importante que os integrantes da cultura hip-hop como um todo se posicionem e condenem atitudes racistas. O ano é 2014, mas o pensamento de muitos ainda é da casa grande e senzala.

Parabéns pela lucidez, Parteum. E tâmo junto, goleiro Aranha.

Mais sobre Parteum:
Entrevista Kamau e Parteum
Per Raps TV: Parteum e A Autoridade da Razão

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + quinze =