#illmatic20anos MCs e DJs falam dos clipes de illmatic

Encerrando a comemoração dos 20 anos do álbum illmatic, do rapper Nas, convidamos 2 MCs e 2 DJs para falarem sobre as 4 músicas que ganharam clipe no álbum. Cada um deles falou de um clipe específico, agregando informações que cruzam esse momento histórico no rap com a vida de cada um.

Divirta-se.

“The World Is Yours”, pelo MC Marcello Gugu

Pra iniciar nossa ideia sobre a música, podemos citar que ela foi feita por um dos maiores produtores de todos os tempos, o grande Peter Phillips, mais conhecido como Pete Rock, cujo refrão também usa sua voz. O tema “The World is Yours” provavelmente foi inspirado pelo filme Scarface, de 1983. O filme, que conta com a participação de Al Pacino e Michelle Pfeiffer, dirigido por Brian de Palma, e narra a história de um traficante de drogas chamado Tony Montana que, ao atingir a ascensão, compra uma estátua com um globo terrestre que tem a inscrição The World is Yours ou, em tradução literal, o mundo é seu. O illmatic traz inúmeras referências desse filme no disco todo, por exemplo, em “N.Y State of Mind”, quando Nas diz: ‘I’m like Scarface sniffin cocaine Holdin a M-16, see with the pen I’m extreme’, narra em palavras uma das cenas finais do filme. O clipe do “The World is Yours” tem algumas referências do filme também.

Nas, de forma poética, narra na música o corre do rap, fala sobre a rua, sobre estar atrás de dinheiro e, no refrão, reforça a ideia de que o mundo é seu e, aos ouvintes, de que o mundo é nosso, tanto que no break final ele cita algumas quebradas de New York dizendo: “Corre atrás que o mundo é seu”.

Hoje, quando vejo o clip do “The World is Yours” sinto que devemos sempre nos respeitar como artistas, devemos seguir nossa intuição e fazer aquilo que nos sentimos livres para fazer, Nas contrariou boa parte da cena e revolucionou a forma de fazer rap quando trouxe a tona sua forma de se expressar. Quando ouço o illmatic penso que devemos cada vez mais buscar uma forma única de composição, de expressão, de flow, de produção, interpretação, para que, em suas dadas proporções, nossa obras sejam únicas, assim como esse clássico.

“Halftime”, pelo MC Tiago RedNiggaz

O álbum iIlmatic é um dos meus favoritos e influenciou demais a minha maneira de ver o mundo e as coisas que acontecem nas ruas. Primeiro porque acho a cena de NY extremamente parecida com o que vivemos em SP naquele tempo, e esse disco trouxe de volta a atenção pra cidade que é berço da parada. É o melhor disco de boom bap que já ouvi, sujo, pesado, pura rua mesmo, mas bem feito e bem produzido, harmônico. Foi o primeiro trabalho em que vi produtores de outros núcleos trabalhando com um MC especifico.

“Halftime” é um clipe bem projects mesmo, registrando as masters em locais clássicos com o Nas sempre bem acompanhado, até a fotografia lembra São Paulo no inverno. Me via nesse clipe várias vezes. A produção dessa faixa é do mestre Large Professor,  eu tinha 14 anos e era difícil não ir pra rua se sentindo um rapper depois de escutar o disco e essa track. Quando vi o clipe então, a casa caiu! (risos)

“One Love”, por DJ Tamenpi

Eu conheci o Nas em 1996, quando saiu o single de “If I Ruled The World” e, logo em seguida, o álbum “It Was Written”. Chapei de uma forma tão forte nesse disco que fui atrás de mais informações sobre o cara. Em 96 ainda não tinha internet, então as informações não eram tão acessíveis quanto atualmente. Ainda mais em uma cidade como o Rio de Janeiro que não tinha uma ligação forte com o hip-hop. Minhas fontes principais nessa época era a World Music, loja de DJs que vendia discos em Copacabana, a clássica Modern Sounds que se achava de tudo e, principalmente, a Spider CDs, locadora de CDs que fez história na cena musical carioca nos anos 90. Lá eu achei o illmatic e gravei numa fita K7 que não saiu do walkman durante muitos anos e não sai do meu fone até hoje. Sem dúvida é um álbum muito marcante na minha vida.

Os clipes foram uma coisa que eu fui ver muito depois, mas “One Love”  era um som que me chamava atenção pois tinha a mão do Q-Tip na história, um beat muito jazzístico que talvez não funcionasse com o A Tribe Called Quest, mas caiu perfeitamente pras ideias do Nas. Ouçam o som original que rendeu o sample desse beat: ’The Heath Brothers – Smilin’ Billy Suite Pt II’. Já tava pronto, só precisava das rimas de um dos melhores da história do rap.

“It Ain’t Hard To Tell”, por DJ Nyack

“It Ain’t Hard To Tell” foi uma das ultimas músicas que eu ouvi do illmatic e coincidiu de ser assistindo o videoclipe, em 2006, no comecinho do ano. Já conhecia outras faixas deste álbum, mas foi nesse ano que consegui o disco inteiro pra poder ouvir. Internet, naquela época, pra mim era uma novidade (risos).

A primeira coisa que me chamou a atenção foi o beat, com o sample da “Human Nature”, do Michael Jackson – eu que sou fã incondicional dele, já me emocionei. Produção do Large Professor, outro cara que admiro, não tinha como a música dar errado. E como o próprio Nas diz na letra “Não é difícil dizer”, o jeito que ele descreve a quebrada dele e o que acontece ao seu redor, num beat desse, ficou impecável, uma das minhas preferidas dele, não só do disco illmatic, mas sim de toda obra dele.

MAIS:
Nas toca illmatic na íntegra no Coachella
20 motivos para ouvir illmatic – por Parteum
Integrantes da cena #rapbr falam de illmatic