O conceito do “representar” o rap sempre foi muito amplo e volúvel: tinha a ver com a atitude, com as roupas, o jeito de falar ou um pouco de tudo isso? Depende da situação, mas a melhor das alternativas tem mais a ver com a mistura disso tudo e um pouco mais.

Como a moda da vez é falar que é do rap e que tá nessas a milianos, o assunto cai bem nesse momento. Desafiamos Marco Gomes, empreendedor, fundador da Boo-Box, criador do aplicativo @socialrap (junto de Pedro Gomes) e entusiasta do rap, a comparecer a um evento de tecnologia, lotado de empresários e investidores, para literalmente vestir a camisa do rap enquanto participava de um debate sobre a publicidade no mundo 3.0. E ele topou!

Daí perguntamos: isso não é uma forma de representar? Aposto que ali dentro pouquíssimos sabiam do que se tratava uma camiseta com os dizeres “Um só caminho”. Em um mundo em que as pessoas acham incrível a descoberta da tal nova classe C e se vêem maravilhados com suas empregados domésticas usando smartphones, aparecer no evento vestindo a camisa do rap, e sabendo o que é o rap, é representar, sim.

E você, representa? E se representa, representa o quê?