Emicida realizou diversas proezas durante sua carreira. Virou referência no freestyle, fenômeno de vendas no mano a mano, recordista de visualizações de seus videos na web e por aí vai. Não bastasse isso, gravou um primeiro clipe de seu maior hit, “Triunfo”, que bombou e chegou na TV. Antenado, chamou o mesmo diretor, Fred Ouro Preto pra fazer outros dois clipes, mas “Então Toma” se destaca com folga dos outros dois.

Numa pegada filme-de-Quentin-Tarantino, Emicida interpreta ele mesmo na estica, de terno, junto de Criolo, com participação especial de seu irmão e braço direito, Evandro Fióti. A fotografia, as referências pop, os excêntricos – pra não dizer insanos – diálogos com Criolo, a pegada trailer de sucesso mostrando reviews da imprensa e a apresentação dos personagens da trama, já valem o play. Pra melhorar, o clipe casa em qualidade com o beat inspirado de Renan Samam e a rima inflamada, que justifica o corre do MC. “Eu fui trabalhar e arranjar espaço pro meu rap!”.

Sim, ele foi. E tanto trabalhou que, desde sua primeira indicação (Aposta e Rap) ao VMB há três anos, Emicida segue evoluindo e ganhando espaço. Tanto que, apesar de não ter levado nenhum prêmio da Music Television, virou VJ da emissora. Ironia a parte, mereceu. Ainda assim tem gente que contesta.

Indicado a hit do ano, clipe do ano e artista do ano em 2011, Emicida deve levar ao menos um dos prêmios e, por questão de honra, terá sua trajetória coroada, ao menos às vistas de quem está do lado de lá.

*Por Eduardo Ribas