Delatorvi - ”Essa p*rra é Trap, não Pop!”

No dia 05 de agosto de 2020, o rapper mineiro Delatorvi surpreendeu ao lançar a música intitulada “Sem Boné” — fazendo tradução direta à gíria da cena internacional “No Cap”. 

 “A canção apresenta versos direcionados a contradições sócio raciais dentro do mercado hip-hop, como a aproximação com a polícia militar, tanto quanto ao blackface & blackfishing. Caso você não conheça o termo, isso seria destinado a pessoas que tentam soar como negro sendo uma pessoa branca, de forma satirizada ou até mesmo banalizando o privilégio de ser uma pessoa de pele clara dentro do mercado. Ps: “Sem Boné” foi a tradução literal de “No Kap” (Gíria afro-americana que fala sobre não mentir/parar de kaô). Um salve pra todos os meus fãs, Deus é grande!”, acrescentou o artista na sessão de comentários do vídeo.

Um dos pontos a serem destacados na forma de Delatorvi fazer suas músicas é justamente a fusão de muitos elementos originais do Trap, tais como gírias, lírica, estética, e os beats muito bem produzidos (a produção de “Sem Boné” ficou por conta de GU$TAVERA).

Mas, não é somente isso: o emponderamento é fundido com suavidade junto à questões e críticas sociais nos trabalhos do rapper de Nova Lima, nos trazendo uma sonoridade muito agradável ao mesmo tempo em que verdades são ditas e retratadas, inclusive deixando linhas que poderiam ser consideradas como “ataques”, mas que não podem ser deixadas de serem consideradas como “fatos e perguntas importantes para outros artistas e seus respectivos públicos”, como é no caso das seguintes linhas em “Sem Boné”:

“Essa p*rra é Trap, não Pop
Nego, você tem se bronzeado?
Essa p*rra é Trap, não Pop
Nego, você cola com fardado!”

Delatorvi e Zulu se unem no single "Atura ??", confira o clipe

Há quase quatro anos atrás, Delatorvi lançou a mixtape “HNMB” — Homem Negro, Mundo Branco; uma obra importantíssima para o desenvolvimento da cena atual do Trap nacional. O projeto que trazia participações de outros seis artistas negros (Djonga, Kessidy Kess, Luizada, Martch Posse, Bruno da Bomba e Raffa Moreira — a.k.a BC Raff), trazia também influências de outros gêneros como o R&B e o Funk. Desde o começo, o jovem artista vem se empenhando cada vez mais, e aperfeiçoando suas rimas e videoclipes. 

Mantendo um contato muito próximo com seu público que é composto em maioria por jovens negros, Delatorvi faz mais do que o papel de um artista — ele conversa, aconselha, defende e valoriza os seus, mostrando que a união da juventude contra a violência policial e racial vai além dos versos de suas músicas: é uma importante e árdua luta diária.

Após 4 anos de trabalho, Delatorvi lança a mixtape 'Homem Negro ...

Não sabemos muito sobre futuros projetos do artista de BH, mas podemos colocar as expectativas no topo. Para quem conhece a trajetória de Delatorvi desde anos atrás em “HNMB” e “A Vida de Emmett Till” (álbum lançado em 28 de agosto de 2017), ver o tópico “SEM BONÉ” entrar nos trending topics do Twitter não surpreende, pois o rapper merece muito mais reconhecimento.

Cabe a nós, ouvintes e fãs, continuarmos entendendo e apoiando os projetos lançados para vermos um dos artistas mais reais que a cena brasileira já conheceu sendo colocado entre um dos mais influentes da geração. O bordão do rapper faz realmente muito sentido: Jovem Prince impressiona.

Ouça Delatorvi: