Conhecido por sua alegria e estilo eclético, o músico ganhou destaque no cenário musical no histórico Festival da Record, em que se apresentavam grandes nomes da música brasileira no início de carreira como Gilberto Gil e Elis Regina. Foi lá que ele mostrou ao mundo a composição de Geraldo Vandré e Théo de Barros, “Disparada”, que venceu o prêmio, empatado com “A Banda”, de Chico Buarque, e garantiu projeção nacional ao cantor.

Pai de Luciana Mello e Jair Oliveira, ambos cantores, Jair é lembrado por muitos pelos versos em “Deixa isso pra lá”, de 1964, que o músico fazia questão de afirmar – vezes sério, vezes em tom de brincadeira – ser o primeiro rap feito no Brasil e no mundo. A música foi inclusive regravada em 1999 com a participação dos grupos Camorra, Potencial 3 e Criminal D.

Rappin Hood sempre fez questão de se declarar fã de Jair Rodrigues e gravou uma versão rap da canção “Disparada”. Ouça:

Confira também uma apresentação ao vivo, de 2002, em que Jair apresenta “Deixa isso pra lá” junto de seus filhos e MCs do grupo Criminal D e Gangue de Rua, Camorra e Potencial 3. A versão faz parte de 500 Anos de Folia, disco ao vivo gravado com os maiores sucessos do cantor:

Descanse em paz, Jair.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 + 12 =