Nos últimos anos o Hip-Hop teve um crescimento absurdo, tanto na indústria musical brasileira como internacional, os gêneros rap e trap têm dominado as playlists dos serviços de streaming, que são influenciadas principalmente pelo o que público jovem está ouvindo.

Esse avanço tem feito com novos festivais de música surjam pelo Brasil e também tem impulsionado a expansão de outros já consolidados, como o Rap In Cena que está na caminhada desde 2014 e lança a edição world, nos dias 15 e 16 de outubro.

O Rap In Cena World, acontecerá em Porto Alegre no Parque Maurício Sirotski, e além de reunir mais de 60 atrações da nova e velha escola do Hip-Hop, os idealizadores do evento querem mostrar aos novos apaixonados pela Cultura, que ela vai além dos estilos musicais rap, trap e drill, e que há toda uma história e uma responsabilidade com a sociedade quando falamos em Hip-Hop.

Já dizia Sabota, rap é compromisso e o Rap In Cena World estima arrecadar 100 toneladas de alimentos, que serão distribuídos pra entidades e famílias selecionadas pelo Museu de Hip Hop da América Latina e pela Casa de Cultura Hip Hop de Esteio, que farão ativações no festival, que reúne batalha de breaking, pista de skate e quadra de basquete.

Para saber mais sobre essa nova fase do maior festival de Hip-Hop do sul do país, trocamos uma ideia com Keni Martins, idealizador do Rap In Cena. Olha só!

Per Raps: Como surgiu a ideia de mudar o formato do festival para dois dias?

Keni: Mudar o festival pra dois dias já é algo de algum tempo, queríamos expandir a marca e o festival, deixando evento ainda mais completo. A ideia sempre foi ir crescendo a cada edição e apresentar novas experiências ao público. E principalmente agora nessa edição, a gente conseguiu ganhar uma força, acredito que devido ao nosso mercado estar sendo muito mais valorizado, então muito dessa evolução e não somente os dias, vem dessa visão de expansão e crescimento da marca.

Per Raps: E por que ir para um espaço aberto?

Keni: Pô, mesmo antes de ter o Rap In Cena a gente tinha uma produtora, onde realizávamos grandes eventos em sítios. Nós fazíamos, normalmente, de dois a três palcos, onde sempre tinha rap, funk e eletrônica. Então voltar a realizar um grande festival em um espaço aberto, era tudo que a gente queria. E o melhor, não vai ser um estacionamento, uma selva de pedra não, é um parque com muita natureza, então não tenho dúvida que foi uma ótima escolha e o público também vai se sentir muito confortável e vai conseguir sentir a energia que o local e todo o evento vai trazer!

Per Raps: Vocês estão trazendo atrações peso, como foi o processo de decisão do line?

Keni: Não tivemos dificuldade pra conciliar o line, a gente conhece grandes nomes da nossa cena e tem muitos nomes que estamos dando oportunidade e conhecendo agora, são jovens que tão começando, se dedicando pra fazer um trabalho legal e é sempre bom tá ligado no que tá acontecendo, dar oportunidade pra artistas novos. E isso é muito do DNA do Rap In Cena, sempre tivemos esse compromisso e acredito que aqui no estado é um dos poucos festivais que realmente fortalece os artistas locais. Por que com o crescimento da cultura temos visto artistas regionais ficarem esquecidos.

Grandes empresários tão fazendo evento de rap e trap, “porque tá na moda”, mas ao mesmo tempo eles esquecem de fortalecer os artistas e fomentar nossa própria cena. E é isso que a gente vem buscando cada vez mais, fazer nossa cena ser reconhecida, porque a gente tem muitos talentos, profissionais extremamente qualificados aqui, a gente só não tem a visibilidade necessária pra conseguir de fato fazer o mesmo barulho que o eixo Rio/São Paulo acabam fazendo, mas fico muito feliz de ver o nosso nível de entrega.

Per Raps: Nessa edição temos muitos artistas da velha escola Hip-Hop e da nova também, qual é a mensagem para o público com essa mescla?

Keni: Acho que é algo que vem da nossa veia de construção da cultura. Hoje a gente entende que como nosso mercado tá crescendo, o público mais novo não conhece exatamente o que é a Cultura Hip-Hop, eles conhecem o trap, o rap, o gênero, as músicas que tão em alta. Assim como pessoas, que tão migrando de outros gêneros musicais e não têm muito conhecimento do que é a Cultura Hip-Hop. Então como a gente tá levando isso como nosso DNA, de manter essa essência.

A Cultura Hip-Hop é muito mais do que só a música, ele tem diversos elementos, ela ajuda toda uma comunidade, ela traz a união entre as pessoas, o nós por nós, sempre nos ajudando e construindo algo melhor. Então a gente quer que todas as pessoas, independentemente de idade, seja nova ou velha escola, entendam que é uma força maior, além da música, além do gênero e de ser legal, é um compromisso, como dizia o Sabota.

Per Raps: Conta pra gente quais as expectativas pro festival!

Keni: A expectativa pra esse festival é nos tornarmos o maior festival de Cultura Hip-Hop do Brasil, trazendo sempre a nossa essência e todos os elementos da cultura. Queremos impactar o público com a comunicação do evento, com uma narrativa construída do início ao final, e também trazendo aos maiores nomes da nova e velha escola, pra mostrar que o nosso estado tá bem representado e que daqui podemos conquistar reconhecimento nacional, levando adiante a essência da Cultura Hip-Hop, que é o mais importante e não apenas os gêneros raps e trap, que estão presentes assim como o drill e outros, mas mostrar a importância do Hip-Hop pra sociedade.

Per Raps: Fala um pouco sobre os projetos que o Rap In Cena têm realizado

Keni: Temos uma meta de arrecadação mais de 100 toneladas de alimentos no festival, a gente vai lançar o projeto Rap In Cena Educa, em breve fazer palestras, e além disso vamos colocar em prática uma ação com algumas escolas, onde os alunos que mais se empenharem e tirarem boas notas, vão ganhar ingressos pra ir no Rap In World, estamos elaborando tudo com muito carinho. Temos uma grande parceria com a Casa de Cultura Hip-Hop e Museu da Cultura Hip-Hop, onde a gente também faz a gestão de eventos.

Foto: Arthur Dossena

Eles que vão estar cuidando de toda essa distribuição de alimentos para as instituições, com essa meta queremos atender mais de 10 mil famílias e também ter espaços da Casa da Cultura Hip-Hop de Esteio e do Museu do Hip-Hop dentro do festival, pra que o pessoal possa entender que essas experiências, além da diversão nos permitem ajudar muitas pessoas através de algo que é mágico, que é a cultura, música e arte.

 

Curtiu conhecer mais sobre o Rap In Cena? Ah, se você você colar no festival pode encontrar o time do Per Raps por lá!

 

Confira a lista de Atrações:

Racionais Mcs, Flora Matos, Filipe Ret, L7nnon, Djonga, Orochi, Matuê, Cone Crew, Teto, Cristal, Tasha & Tracie, Cinthya Luz, Froid, MV Bill & Kamilla CDD, Poze Do Rodo, Bin, Chefin, MD Chefe & Domlaike, Quebrada Queer, Da Guedes, UCLÃ & Jô, Yunk Vino, Major RD, Igão, Kyan, Babu & Paizão Records, Poesia Acústica (Budah, DK 47, Kayua, Ducon), Long Beatz + (Cartel Mc’s, Tvlysson & Romano), Azzy, Hyperanhas, Negra Jaque, Clara Lima, Zudizilla, Rafuagi, Febem, LC Advanced, Viralataz, Cachola, Dropping Poetas Vivos, Samambaia, Dona Maria, Trulin, Yasmin, PH Original, Luka Pumes, Ivs Dom R’, Rua 3, Txai Rap, Makani, Tufa Branco, Rafo, Xamuel & Dubaile, Trip54, Diazz GG Versa, Ddx$, Job Sls, Siko11, CP No Beat, Batalha Da Aldeia X Batalha Da Olimpo, Bob13 e Mariana Marmontel, Chapola, Michel Elias + Sósias, Saulit, Milk Shake, Buiu Rodriguez, DJ Micha, DJ Abu, DJ Dickjay, DJ Coch, DJ Tufa, DJ Ninja, mais atrações surpresas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois + sete =