JORNADA MANGAKÁ DICRIA

O Anime Dicria é uma plataforma que impulsiona e movimenta a cultura dos animes e mangás nos espaços periféricos. Concentrada no Morro do Fallet, Ed Cura, idealizador do projeto, deu vida a Mangateca Dicria, mobilizando a cultura, além de movimentar fundos e captar recursos para a criação de novas campanhas, como é o caso da Jornada Mangaká Dicria.

 

Sobre a Mangateca Comunitária Dicria

A ONG Mangateca Comunitária Dicria é a pioneira biblioteca de mangás (história em quadrinhos de origem japonesa), destacando a participação ativa de grupos prioritários, notavelmente com duas lideranças negras: 

  • Edson Cura, também conhecido como Ed Cura, lidera a iniciativa como Fundador e Diretor Executivo. Sua atuação é crucial, abrangendo captação de recursos, programas, promoção da causa, monitoramento do progresso e administração geral, com o propósito de impactar positivamente crianças e famílias apoiadas.

 

  • A Diretora Executiva, Pamela Pereira, mulher negra e parte da comunidade LGBTQIA+, além de fotógrafa do projeto, colabora estrategicamente com Edson Cura em decisões cruciais, assegurando liderança diversificada e perspectivas amplas para atingir os objetivos estabelecidos. Juntos, eles impulsionam a inclusão e transformam vidas.

Como funciona o projeto?

A chamada ‘Jornada Mangaká DICRIA’ compreende um plano de ensino em artes e literatura para crianças e adolescentes. Serão duas turmas, separadas por faixa etária, uma turma compreendendo a infância e a outra a adolescência, para assim darmos conta de um plano de ensino adequado a cada idade. O projeto possuirá duração de 6 meses (de abril a setembro).

Durante a jornada as turmas serão orientadas a elaborarem ao longo das aulas uma peça artística de mangá (história em quadrinhos de origem japonesa) ou história em quadrinho (ocidental) e a peça final sendo apresentada no mês da formatura, ao final do curso.

O evento de formatura terá convite aberto para a comunidade (e página do @animedicria), assim como para os familiares das crianças. Além disso, divulgaremos suas obras em nossos canais de comunicação e lhes entregaremos certificados simbólicos pela participação nas atividades.

O curso contará com osprofessores:

  • ByuLa (@fa_byula), musicista e animador 2D; tem trabalhos com o Museu de Arte Moderna através da Residência Artística em 2022.
  • Caroline Muniz (@_carolinehobbit_) licencianda em filosofia; tem histórias em quadrinhos publicados através do programa de Almanaques para a Popularização da Ciência da Computação.

A proposta acontece em colaboração com a prefeitura do Rio de Janeiro.

“Nossa proposta é fomentar a produção de arte para crianças e pré-adolescentes interessados em se aventurar no mundo da imaginação dos desenhos japoneses e a elaborar uma obra literária com similaridade às histórias em quadrinho, assim como um livro ilustrado.

A proposta oportuniza que crianças da periferia possam produzir, pela primeira vez, uma obra de mangá autoral, em que possam impactar positivamente na qualidade de vida e no crescimento das mesmas. Promovendo a produção comunitária ao organizar uma peça artística que favoreça a reflexão sobre o reconhecimento de si no coletivo”, diz Pamela Pereira.