Jay-Z: 5 faixas que influenciaram a cultura

No mês passado, o Grammy teve os holofotes (mais uma vez), virados para Jay-Z. A declaração do artista sobre as métricas da premiação estarem erradas, com Beyoncé, a maior vencedora de prêmios na história, nunca ter levado um AOTY (Album Of The Year), não é só incoerente, como também é hipócrita. 

Considerando esse papo reto, sem curva, ao lado de sua filha, Blue, Hova se mostra sempre sólido, sempre consistente, nas ideias, nos projetos e na sua influência inegável na cultura preta.

Dito isso, separamos 5 faixas que influenciaram a cultura, em especial o Hip Hop, em diferentes fases da sua carreira.

Obviamente, existe um catálogo vasto o suficiente pra preencher uma biblioteca gigante com cada referência que ele gerou nas ruas e no jogo do rap, mas aqui, a intenção é apresentar um recorte de cada época. Pega a visão: 

1 – Dead Presidents 

 

Tanto a parte I, promovida inicialmente como um single para um dos melhores projetos do Hova, Reasonable Doubt, (1996) quanto a parte II, a escolhida pro disco, marcam uma sonoridade impecável e tem um objetivo: ditar o que seria o “Coke Rap” no futuro, ou melhor, o trono de quem seria o rei de Nova York a partir dali.

A faixa apresenta a necessidade de Jigga e do seu time de chegar no topo, trazendo como escopo principal a narrativa do crime e a vivência das ruas.

O artista pega a temática mais suja possível e coloca no topo das paradas, ditando muito do que seria feito na Costa Leste. 

2 –  Izzo (H.O.V.A.)

 

Onze de setembro de 2001, o mundo parava pra assistir o jornalismo internacional documentando o atentado às Torres Gêmeas. A indústria da música parava para dar vida ao que na minha opinião, é o melhor projeto de Jay-Z,  The Blueprint.

Izzo (H.O.V.A) é sem dúvida nenhuma um marco na carreira do artista e um célebre abre-alas para um jovem Kanye West, cheio de vida e muita influência do Soul, característica que seria marcante nas produções do Jigga e principalmente no disco de estréia do ainda produtor Ye, em The College Droupout (2004).

The Blueprint foi uma apresentação clara de Hova ao mainstream, onde mesmo com um catálogo sólido, fruto de outros clássicos, é aqui, que vemos o artista ascender ao topo do mundo da música. 

Izzo (H.O.V.A) ficou no top 10 das paradas da Billboard, sendo a primeira do artista a ocupar esse posto. Aqui, Jigga fala sobre o tráfico de drogas e o perigo da indústria, cadenciado de forma majestosa em um sample de Jackson 5´. O começo de uma era de colaborações entre Hova e Ye foi dado.

3 –  Encore 

 

Encore é claramente uma das faixas que tocaram desde a Festa Gênesis no Olimpo e Via show da vida, até nas principais paradas de rap. 

Com vocais de John Legend, Don Crawley, GLC e Kanye West, que também produziu o beat, serviu de referência e influência para o rock dessa fase, com Linkin Park, uma das principais bandas dos anos 2000, mixando a faixa ao lado de Numb, do álbum Masu-up Collision Course, dando vida a Numb/Encore.

Além de ganhar um Grammy, a versão mixada ou original, podem ser ouvidas até hoje em qualquer Jukebox de favela. Bota fé?

4 –  Empire State of Mind

 

Empire State of Mind não é só uma faixa fruto da perfeita união entre Hova e Alicia Keys, a track se tornou claramente o maior hino de Nova York. A faixa pertence ao terceiro volume do The Blueprint, em 2009, sinalizando a busca por dias melhores. 

Permanecendo por cinco semanas consecutivas no topo da Hot 100 da Billboard, a faixa se tornou temática para o audiovisual da cidade de Nova York, exportando o lifestyle para o mundo, mais uma vez, fato que movimentou toda a cultura, mais uma vez.

5 – Legacy

 

Agora a gente avança pra 2017, com um Jigga já mais do que consolidado, eternizado em toda a indústria, como um bilionário e dezenas de negócios de alto nível no mundo empresarial. 4:44 é um marco, fez a cultura olhar pra dentro de si, através de uma narrativa mais pessoal, sensitiva. 

Legacy, produzida por No I.D, apresenta um papo de Jay-Z com sua filha Blue, ainda criança, sobre para onde a fortuna, os bens e tudo que ele construiu iria. 

Na faixa, Hov destaca temáticas familiares, a necessidade de deixar um legado e principalmente trazer um reinado para o povo preto, quebrando o ciclo de violência que milhões de famílias passam todos os dias. 

Nesse projeto, vemos a voz de Jay-Z como aquele que não só movimenta o jogo do rap através das suas rimas, mas dita como a cultura e como a comunidade negra deve se organizar, a partir da base, pra crescer e se fortalecer. Icônico. 

A tarefa de indicar cinco faixas do rapper que de fato influenciam a cultura, é praticamente impossível, na contagem original separei pelo menos 15, mas o grande ponto aqui, é notar como o Jay-Z de 1996 e o de 2017, se desenvolveu, se consolidou e continuou sendo porta-voz de gerações na música e na cultura.