Anunciado como a atração principal do Festival Batuque 2015, Joey Badass pode ser considerado um novo nome na cena, mas já lançou três mixtapes pelo coletivo Pro Era e seu primeiro álbum, B4.DA.$$ (algo como ‘Before the Money’ ou antes da grana), e todos eles fizeram barulho. O rapper é novo, tem apenas 20 anos, mas mostrou tanto potencial que chegou a ser comparado a Nas na época de illmatic. Definitivamente isso não é pouca coisa.

Indicado como novato do ano no importante prêmio do canal BET, Jo-Vaughn Virginie Scott cresceu no Brooklyn começou no rap como JayOhVee, mas segundo ele mesmo, acabou mudando para um nome mais comercial. Sim, Joey Bada$$ soa melhor, certo? O rapper começou a escrever poesia aos 11 anos, mas foi em 2012 que viu um boom em sua carreira com o lançamento do clipe da música “Waves”, da mixtape 1999.

Pouco depois do vídeo, veio o convite de Mac Miller para a participação na faixa “America” e para abrir um grande show. Assim como Miller, Bada$$ é um dos artistas da nova geração que possui uma grande base de fãs, mesmo sem ter assinado com uma gravadora, e ainda sem uma mega equipe de marketing direcionando sua carreira, o rapper consegue divulgar seu trabalho, causar impacto no jogo do rap e se destacar. “Foda-se a Pitchfork, foda-se a Fader. Eu vou construir a minha própria rede”, disse em entrevista recente ao podcast Rap Radar.

Exemplo disso foi sua apresentação no programa The Tonight Show Starring Jimmy Fallon, em que Joey apresentou a música “Like Me”, de seu primeiro álbum B4.DA.$$, junto da lendária banda The Roots, Statik Selektah e BJ The Chicago Kid.

(O vídeo da apresentação estava fora do ar, então fique com o clipe do som)

Assim como ocorreu com a música de Kendrick Lamar, “All Right”, a música “Like Me”, e o álbum como um todo, serviu como catalizador do #BlackLivesMatter, movimento organizado contra o crescente número de jovens negros assassinados pela polícia norte americana. Joey inclusive marchou junto ao movimento na Union Square, em Nova York, reivindicando a morte de Freddie Gray, mais uma vítima da brutalidade policial.

Um dos últimos grandes feitos comerciais de Bada$$ foi a presença na trilha sonora do novo filme de Silvester Stallone, Creed, em que o ator volta a ser Rocky Balboa e treina um jovem briguento (Michael B. Jordan, de Quarteto Fantástico), de certa forma, revivendo os tempos áureos do boxeador. Aliás, a trilha desse filme promete e ainda traz outros grandes nomes como Nas, Meek Mill, Future, Childish Gambino, Jhene Aiko e Vince Staples.

Parte da Freshman Class de 2013 da XXL Magazine, Joey tem ótimas influências, que vão de  Nas a Andre 3000, passando por Tupac Shakur, Notorious B.I.G., J Dilla, Jay-Z, Black Thought e MF DOOM. E são essas referências musicais que dão o tom à música do rapper, tanto pelos beats que parecem ter saído diretamente da golden era do rap ou suas rimas, conscientes e muito bem tramadas, que destoam do que encontramos no mainstream atual.

Festival Batuque 2015

Além de Joey Bada$$, o festival que chega à sua sexta edição trará ao palco no primeiro dia (sábado) os grupos RZO, Mental Abstrato e Beat Wise Recordings. Já no domingo, se apresentam BNegão & Seletores de Frequência, Rodrigo Ogi e Space Charanga. A festa será conduzida pelo MC Max B.O. e o DJ Tamenpi.

(Faltaram as minas no palco, sejam elas DJs, cantoras ou MCs, mas sobre esse assunto a gente fala mais pra frente.)

Informações sobre a venda de ingressos no link http://j.mp/Batuque-2015

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 9 =